terça-feira, 15 de maio de 2007

Passo torto















Teus sapatos não me agradaram hoje
Mesmo não sendo os mesmos que me pisotearam
Preferiria ver-te descalça
Sentir teus pés gelados

Não é possível
E culpo minhas próprias sandálias
Cansadas de me equilibrar
E incapazes de me manter do teu lado

Arranco-as sem arrependimento, sem pudor
Massageio o asfalto quente
Dói e não te alcanço

Sigo-te de longe, passeio pelos campos
O fim deste texto diferente?
Talvez quando entregar-me a ti, meu descanso

3 comentários:

Michelle disse...

Linda...
O equilíbrio em nossas vidas são muitos importantes, tanto nos momentos felizes ou tristes.
Entrega-ti sem medo de ser feliz e não se preocupe com o acontecerá pois tudo na vida é passageiro...até mesmo nossas vidas. :)

Sheila disse...

já pensei em arrancar de vez os sapatos da minha vida e seguir por aí de sandálias e sem rumo.
gostaria de ter a ousadia dos loucos que o fazem. covarde fico por aqui, calçada e amarrada nesta via cheia de sinais vermelhos.

Fabiana disse...

Texto lindo amigo