segunda-feira, 28 de maio de 2007

Labirinto gramatical















Bom dia, boa tarde
Como vai, vossa excelência?
Hífen na metade
No fim, só reticências

Ando bem substantivo
Um pouco preposição
Um tanto adjetivo
Puramente conjunção

Estou perplexo
Mas que absurdo!
Nada circunflexo
Tudo muito agudo

É que o período simples
Tornou-se composto
Meio vocativo
Extremamente aposto

Foi uma vírgula, frase separada
Hora da exclamação
Ponto final? Que nada!
Olha o tamanho da interrogação

6 comentários:

Alessandra Leite disse...

Vim aqui agradecer o presente....

Gostei demais desse poema. Ainda mais do título....:o))

Sabe o que mais gostei: "olha o tamanho da interrogação.."

Te amo! Bjoo!!!

Sheila disse...

e eu que à vezes falo por cotovelos cometo o pecado de não saber por vírgulas...
e espero que as minhas reticências sejam entendidas .. mas acho que é muita pretenção minha!
será que a exclamação acima soou como pretendi ?
ihhh ... lá venho eu toda interrogativa...

afff vícios!

Gina disse...

Fora o belíssimo jogo de palavras que é fantástico, o que mais eu adorei, foi a musicalidade da poesia. Você sabe como jogar com as letras. Vc é uma eterna criança bricando de fazer ciranda.

André Marques disse...

Rapaz! Se eu tivesse levado o Vilella um pouquinho mais a sério eu juro que teria entendido! mas que tá bonito, iso tá! rsrsrs

Tricia Cabral disse...

Eterna interrogação, duvidosa exclamação, nenhum ponto final...

kellen disse...

Muito legal esse Rafa,porem nao mais que o da seiva de metal que foi o que mais gostei!!!
Abração!!!