quarta-feira, 20 de junho de 2007

Em breve, teu colo...





















Deitado sem teu colo
Sem tuas mãos em meu cabelo
O tempo eu ignoro
Não há porque temê-lo

Lembro da história que me contavas
Era um conto da carochinha
Enquanto na rede me embalavas
Sonhava que a fábula era minha

Ao longo desta e de outras jornadas
Permaneceste paciente, tranqüila
Sei, portanto, que sempre me aguardas
Tua voz, de longe, posso ouvi-la

Deitada, entregue à rede, sozinha
Sei que ainda entoas a canção para mim
“Se essa rua, se essa rua fosse minha...”
Mãe, logo essa estrada chegará ao fim...

9 comentários:

Alessandra Leite disse...

Nenhum comentário que eu fizesse, por mais adequado que fosse, conseguiria descrever as lágrimas que esses versos me provocaram...

só quem tem a mãe longe pode entender o que significa sentir de longe os afagos, ouvir a voz mesmo sem estar ao telefone, querer estar tão perto...

Lindo Rapha! Lindo como vc meu amigo!

Nada será em vão...pode apostar!

Amo-te!!!

Bjos!

Fabiana disse...

Só uma mãe sabe o quanto é importante dar uma boa esducação ao seu filho, qtas e qtas noites uma mãe passa em claro velando o sono do seu filho, qtos pensamentos voam em como será o futuro, oq ele vai ser quando crescer, se vai ser uma pessoa do bem, se vai ser responsável, enfim a mente de uma mãe nunca se cansa de pensar como vai ser o futuro de uma coisinha tão pequena e tão amada!!
Rapha quando "eu crescer" quero que Deus me dê um filho e que ele seja um homem de bem como você!!
Te adoro mto!!
Bjoss!!

Renata disse...

Raphael...

mto bom msmo... lindooo!!!
me emocionei ao ler
lembrei dos anos q passei longe da minha mãe...
e sim é mto dificil ficar distante de alguém tão especial...
como o colo, o carinho fazem falta... e até msmo as broncas!!!

aaaa o amor de mãe é o mais lindo, verdadeiro e intenso q existe!!!

mãe é tuuuudo de bom!!!

=D

beeeijo

Tatiana disse...

Deve fazer parte do "pacote" mãe cantarolar essa música nos embalando na rede.
Saudades que dá, mesmo próximo a minha mãe, do tempo que cabia no colo dela e que cantigas acalmavam e afastavam todo e qualquer infortúnio.
Bonito ver esse teu carinho de filho externado.
Beijo, Rapha.

Michelle disse...

Sem comentários...pois não existem palavras para a pessoa mais maravilhosa do mundo MÃE...e pelo o que conheço a Olga deve ter chorado muuuuiiiitoooo...bjossss

Maurília disse...

Rapha,
nem preciso dizer que estes versos me fizeram chorar...
Só posso dizer uma coisa amigo. Aproveite muito o tempo que vocês estiverem juntos. Depois, é só saudade, e muita...
Beijos

André Marques disse...

cara! melhor que "se essa rua fosse minha" é "ai minha mãe, minha mãe... é a mulher do meu pai..."
meu avô dizia que podiam chamar ele de viado e o caramba, mas se falasse qualquer coisa da mãe dele tomava logo uma "pexerada no bucho"!
"mãe é mãe, paca é paca..."
rs
abraço mulek!

Raquel Areosa disse...

adorei esse Rapha...especialmente esse!! =) Fica com Deus querido!

0lga Freire disse...

imaginem eu a homenageada, me sinto cada vez mais orgulhosa de vc. escreva, escreva sempre tudo o que sentir eh muito bom, parabéns, te amo muito