sábado, 25 de julho de 2009

Lux Aeterna



(Homenagem a N.J.F.L.)

Aprendi por aprender que tempo e ser são um só
O que está feito está feito
e somente à terra diz respeito
e o que se foi retorna ao pó

Para aprender o que jamais morre
é preciso morrer existindo
bem mais que viver desistindo
porque o tempo em si corre

E se a terra insiste
em cobrir o que se encerra
há três letras que ninguém traduz

É o que sempre existe
e não retorna à terra
porque ninguém jamais enterra a LUZ

8 comentários:

Virgínia Allan disse...

Ei, Raphael, saudosa de seus poemas. Até que enfim. Lindas e sapientissimas palavras. Um adeus não eterno, "porque ninguém enterra a LUZ". Um grande abraço e um dia iluminado. Com Deus. Beijo

Fabio Ciquini disse...

"O que está feito está feito
e somente à terra diz respeito"
essas palavras me ajudaram muito! obrigado meu velho!
belissímo instante!, soberba poesia

Fabio Ciquini disse...

"O que está feito está feito
e somente à terra diz respeito"
essas palavras me ajudaram muito! obrigado meu velho!
belissímo instante!, soberba poesia

0lga disse...

Meu filho linda homenagem ao velho mestre, parabéns, lindas e sensiveis palavras.

Amapola disse...

Ai... que lindo...

Kaline disse...

Perfeito, lindo demais.

Solange disse...

Sempre começo o dia com um passeio pelo seu blog. Decidi que ler tudo de uma só vez (o que tenho vontade)não era a melhor maneira de respirar o seu trabalho... assim sendo cada dia... após levar os meninos no colégio... para aqui e escolho um... e nele fico... e nele vôo... e com ele ilumino meu dia! Obrigada...

Silmara C. disse...

Que melhor maneira de conhecer meu Brasil a dentro.
Mesmo distante, me sinto ai.