quarta-feira, 15 de abril de 2009

Vai-e-Vem

Vai-vem, vai-vem, Vai-e-Vem
no meio dum bosque, duma praça
Vai-e-Vem com leveza, com graça
Se vai-vem, que mal tem?

Vai-e-Vem, mesmo estando preso
ainda levas e trazes os sonhos
daqueles rostinhos risonhos
De tão forte, indefeso...

Um sopro que ao ar vive...
No vento em movimento, ecoa tua voz
Ali estás, acorrentado porém livre!

Balanço, ó balanço!
Poderíamos ainda ser nós
mas cresci e não te alcanço

9 comentários:

Michelle Moraes disse...

Oi Rapha!
Não poderia deixar de comentar...depois da pergunta que te fiz, vim aqui ler! Bem, como sempre seus poemas muitos bons, sem falar das fotos que pra mim vc é o melhor, principalmente pq faz por amor.
BJOSSSSSSS

Se vai-vem, que mal tem?

Nathalie Brasil disse...

Sempre os melhores poemas e as melhores fotos.
Bjs, Rapha.

Virgínia Allan disse...

Sempre vens, com calma e graça... retratos de vida, pedaços da alma.
É viva alegria ler e ver tua poesia. Encantos de cor e amor que nunca se vão.

Babi disse...

Meu ídolo!
;)

cassinha disse...

a primeira a ver o texto pronto!
e sempre estarei aqui para te empurrar no balanço da saudade. balançar é bom. mas melhor ainda quando juntos.
Te amo!
Beijos

J Eduardo Dantas disse...

Esse cantinho aqui é show, Rapha! Parabéns pelas fotos e poesias! Abs,

Renata disse...

você realmente é amigo das palavras e tuas fotos nem é preciso falar o quanto gosto delas.

queria estar por perto
a cada palavra, a cada frase, a cada novo texto
a saudade me consome!

beijos

0lga disse...

desculpe pela demora em ler um poema tão lindo, a foto diz tudo, as lembranças da vida são maravilhosas. te amo, mamãe

Fabio disse...

Atualiza aí Rapha!! precisamos de mais boas imagen e poemas!
Abraço