segunda-feira, 2 de novembro de 2009

Na beira do rio


Tanta coisa na beira do rio acontece
É o trabalho do canoeiro
É o casal namorando no outeiro
e um vento que abençoa como prece

E lá no rio é tanta corredeira
tanta pressa pra tanta solidão
É... Assim, sentada aqui no beiradão
até a vida passa a vida inteira

Até a tristeza passa num clarão
vai num barquinho de madeira
que de tão pequeno navega em vão

Navega perdido pelo entardecer
como esses olhos que, de alguma maneira,
fizeram este rio inteiro nascer

6 comentários:

Gleicy Alves disse...

E lá no rio é tanta corredeira
tanta pressa pra tanta solidão
É... Assim, sentada aqui no beiradão
até a vida passa a vida inteira.

Adorei,você sempre acertando com suas palavras,seus pensamentos...

Beijo

Michelle disse...

Como sempre, suas fotos e poemas num encaixe perfeito.

Bjos

Virgínia Allan disse...

E o rio me trouxe aqui... Beijo

!! MeNiNa dE aMaRaLiNa !! disse...

Que lindas fotos... achei seu blog pelo blog do Ciquini. Parabéns pelas imagens e escritos.

Amapola disse...

Li seu bog inteiro. Fragmentos diversos abriram seus braços para mim. Nos abraçamos demoradamente...
Ainda bem que seus versos vão de encontro à multidão. Dessa forma não me sinto egoísta, e aproveito sem culpa e por inteiro, o calor do seu imenso coração.

0lga disse...

continuo lendo e adorando, te amo meu filho